Dietas da Moda vs. Alimentação Saudável - A Luta do Século
801
post-template-default,single,single-post,postid-801,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-content-sidebar-responsive,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-10.1.2,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1,vc_responsive
 

Dietas da Moda vs. Alimentação Saudável – A Luta do Século

Dietas da Moda vs. Alimentação Saudável – A Luta do Século

Quem aqui nunca leu, ouvir ou até mesmo participou de uma dieta da moda? Sabe aquela que dá resultado em um curto espaço de tempo? São as famosas dietas da Sopa, dos Sucos, da Lua, do Tipo Sanguíneo, da Proteína, da Gordura…

As pessoas que buscam um corpo enxuto, geralmente procuram uma dieta que prometa a eliminação de peso em pouquíssimo tempo, mas são poucas as que vão atrás de orientação de um profissional da saúde, e essa falta de cuidado pode comprometer sua saúde física e psicológica.

As dietas da moda, apesar de proporcionarem um emagrecimento em curto prazo por restrição de calorias, dificilmente podem ser mantidas por um longo período de tempo. E é aí que está o grande problema: ela não permite que as pessoas criem hábitos alimentares saudáveis e permanentes.

Sem a mudança de comportamento que a reeducação alimentar proporciona, é quase certeza que a pessoa recuperará o peso perdido podendo, inclusive, cair no famoso “efeito sanfona”, ou seja, emagrece em um primeiro momento, mas recupera o peso perdido mais rápido do que foi a perda.

Outro aspecto que precisa ser ressaltado é que a parte nutricional dessas dietas é questionável, já que não apresentam um equilíbrio de alimentos essenciais para o funcionamento apropriado do nosso corpo.

Exemplos de restrições perigosas

Se mantidos fora do cardápio por longos períodos, a ausência de leite e derivados, por exemplo, podem contribuir para o desenvolvimento da osteoporose.

Já a restrição de leguminosas e carnes pode comprometer o fornecimento de proteínas ao corpo, bem como comprometer a ingestão de ferro – nutriente essencial para o transporte de oxigênio – encontrado em grãos como o feijão e nas carnes.

Outro prejuízo à saúde é a restrição do consumo de óleos e gorduras, sobretudo de óleos vegetais, castanhas e nozes. Esses alimentos são ricos em gorduras benéficas ao corpo que participam da formação dos neurônios e ainda ajudam na prevenção de doenças cardiovasculares.

A retirada radical de todas as gorduras pode interferir na formação de hormônios e nas vitaminas lipossolúveis, como a vitamina K, importante para a coagulação do sangue.

A grande verdade é…

O que faz o nosso corpo perder peso é a adoção de um estilo de vida saudável que inclui mudanças de hábitos alimentares e exercícios físicos regulares.

(-) Veja também: Três mudanças que você vai sentir nos primeiros 30 dias de uma rotina saudável

Além disso, as necessidades e as características de cada um precisam ser respeitadas, do contrário, não haverá emagrecimento, só frustração, e a melhor forma de evitar isso é com o acompanhamento de um nutricionista.

A verdade é uma só: se até agora você tem se alimentado de forma desequilibrada e não possui uma rotina com atividades físicas frequentes, será necessário reverter esse processo com muita paciência. Tenha calma! Tudo funciona pelo progresso e consistência, não por mágica!

Essas dicas foram dadas pela Dr. Vivian Zilio (Nutricionista)

No Comments

Post A Comment